SAMAE de Araranguá fiscaliza e orienta sobre ligação dos imóveis a rede de esgoto

O trio de fiscais veste o uniforme da e utilizam crachá de identificação


Desde o dia 8 de junho o SAMAE, por meio dos servidores Enio Ribeiro, Dalton Anastácio Moraes e João Aires Fenk Júnior, intensiva a fiscalização quanto a existência da conexão à rede pública de esgoto e se a ligação foi executada da forma correta, além de orientar os moradores em caso de irregularidades.

O engenheiro sanitarista do SAMAE, Everson Casagrade, Polaco, observa que, o serviço não tem custo para o morador e realizado em aproximadamente 40% da área urbana de Araranguá, onde já existe rede de esgoto instalada na rua. Os profissionais do SAMAE precisam entrar no imóvel para realizar a vistoria. O trio de fiscais veste o uniforme da e utilizam crachá de identificação. Na fiscalização, que é realizada todas as manhãs, entre segunda e sexta-feira, exceto quando chove;

Quando uma irregularidade é encontrada, o morador é notificado a providenciar a correção em até 30 dias e informar o SAMAE. O não cumprimento das adequações pode caracterizar dolo ou má fé, com o caso sendo comunicado para a Vigilância Sanitária Municipal e Ministério Público da Comarca de Araranguá.

O sistema de coleta e tratamento de esgoto é importante para a saúde pública, porque evita a contaminação e transmissão de doenças, além de preservar o meio ambiente. É preciso ficar atento ao descarte de resíduos à rede de esgoto, para não causar entupimentos e refluxo de esgoto.

Veja alguns cuidados que são necessários:

· Óleo de fritura usado deve ser separado em garrafas pet para entregar em pontos de coleta. O material quando jogado na tubulação forma placas de gordura que entopem a rede;

· Não jogar pó de café, restos de comida, erva de chimarrão e qualquer outro tipo de resíduo na pia da cozinha;

· Não jogar papel higiênico, aparelho de barbear, fraldas, absorvente, tubo de pasta de dentes, preservativo ou lixo de qualquer espécie no vaso sanitário;

· As ligações devem passar obrigatoriamente por uma caixa de gordura. A finalidade é conter a gordura da cozinha para não ser lançada na rede coletora, e não ocorrer o acumulo da gordura nas paredes internas causando entupimento. Esta caixa deverá ser limpa periodicamente;

· Outro ponto de atenção são as águas pluviais. A água de chuva não pode ser direcionada à rede coletora de esgoto. A ação sobrecarrega a tubulação provocando seu rompimento;

· Calhas e ralos do lado de fora da casa não podem ser ligados à rede de esgoto. Se isso acontecer, o esgoto pode voltar pelos ralos e pias para dentro de casa.

 


Endereço:

Avenida Municipal, 1500, Sala 01
Centro, Turvo, SC, CEP: 88930-000
(48) 3525-3963