Empresários catarinenses avaliam impactos da guerra na Ucrânia em SC

Sanções praticadas à Rússia afetam preço dos alimentos e combustíveis no Brasil, que devem subir

As entidades representantes do agronegócio de Santa Catarina estão preocupadas com os impactos que o conflito entre Rússia e Ucrânia, no leste europeu, podem causar no preço dos alimentos, tanto estadualmente, quanto no cenário nacional. Os impactos acontecem, principalmente, pelas sanções praticadas à Rússia e pela importância da Ucrânia para o agronegócio mundial.

O vice-presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Santa Catarina (Faesc), Enori Barbieri, destaca que grande parte dos fertilizantes que o Brasil utiliza são importados da Rússia e Bielorrúsia. Pela alta demanda mundial, pode faltar fertilizantes em Santa Catarina no segundo semestre, quando começa a próxima safra.

Para o diretor-geral do Sindicato das Indústrias da Carne e Derivados no Estado de Santa Catarina (Sindicarne) e da Associação Catarinense de Avicultura (ACAV), Jorge Luiz de Lima, além da preocupação humana com o conflito, também há preocupações comerciais.

No que se refere à proteína animal, o diretor enfatiza o aumento do dólar e dos combustíveis fósseis, que refletem no preço do frete e, consequentemente, no valor de comercialização destas mercadorias. O aumento do preço de cereais como milho, que é base da ração da alimentação dos animais, também é uma preocupação do setor.




Endereço:

Avenida Municipal, 1500, Sala 01
Centro, Turvo, SC, CEP: 88930-000
(48) 3525-3963